terça-feira, 27 de janeiro de 2009

A Gravidez da Amizade




Letícia Thompson

Toda amizade é uma história particular.

É uma história de conquista.

Primeiro,descobre-se o outro.

Todo mundo parece igual, mas não é.

E é justamente essa coisinha diferente
em cada um que torna cada pessoa única.

E de repente ali está a sementinha da
amizade fecundada.
A gestação começa.
São pedacinhos de nós que vão ficando
nas conversas e pedacinhos do coração
do outro que vão caminhando pra dentro
da gente.
Há os risos e os sorrisos,
a partilha de coisas simples ou de coisas
importantes.

As descobertas, cheias de surpresas muitas vezes.

A voz calada que pensa, não diz nada... adivinha!...

Fazemos idéia imediata de uma pessoa
ao primeiro contato.
Julgamos? Talvez.
E só os próximos dias, horas ou instantes
vão nos dizer se julgamos certo.
Acontece de nos termos enganado em
certos pontos e quantas vezes não bendizemos isso!

Claro que ninguém gosta de estar enganado.

Mas quando descobrimos um palhacinho
por detrás de uma pessoa séria e reservada
é maravilhoso saber que pudemos nos enganar.

Se todos os enganos fossem assim abençoados!...

A sensibilidade do outro nos toca.

Dá até vontade de chorar.

Não sabemos direito o porquê de nos sentirmos
próximos de alguém assim tão longe,
tão diferente e tão igual.

Mas amizade, como o amor, não se questiona.

Vive-se.
Dela e pra ela. É preciso dar tempo
ao tempo para se sabe
r cativar e ser cativado.
Quando saímos às pressas sempre temos
o risco de deixar alguma coisa esquecida.

Mas se tomamos o tempo de olhar bem,
refletir, conversar, conversar e conversar...

e rir e brincar e ficar em silêncio!...

Se deixamos que essa flor nasça cuidadosa
e docemente...
aos poucos ela vai vendo a luz do dia.

Maravilhando-se.

Contemplando o outro com novos olhos,
ou nova maneira de olhar.
Tudo vira encanto!
Que o outro ria de mim ou pra mim,
mas que ria!

Gargalhe, faça festa!...
Que eu seja nem que seja por um pouco
responsável por esse rosto iluminado, por
essa vontade de viver e de ver o que virá depois.

Bendita seja essa gestação amiga!
Sem prazo, sem tempo, sem hora marcada!
Bendita seja essa amizade, prova de que
Deus se faz conhecer através das pessoas que
alcançam nosso coração.


Um comentário:

Claudinha disse...

Van,
Ser um pedacinho do céu, dentro do seu coração, é o maior incentivo que alguém pode merecer para tornar a perceber que viver intensamente ainda é o melhor espetáculo do mundo. Essa sementinha fecundada que resultou numa grande amizade foi responsável sim por um rosto novamente iluminado e, através de vc e sua obra, fez-se brotar também em mim uma enorme vontade de viver e de ver o que virá depois. Cuidemos então dessa rosa para que ela sempre veja a luz do dia! É com imenso carinho que guardo vc no meu coração, pra sempre! Com carinho, Claudinha.