quinta-feira, 21 de maio de 2009

domingo, 10 de maio de 2009

Hoje, apenas hoje…



Sirlei L. Passolongo)

Hoje, ao acordar,
fiz juras de não pensar em você
Que hoje, apenas hoje,
eu me libertaria dessa saudade
E não deixaria cair uma só lagrima
Trazendo de volta o riso em meus lábios…
Jurei que não ouviria se quer uma canção
que me lembrasse você…
E na rua, não veria mais teus olhos
em outros olhos;
Hoje, jurei me libertar de você.
Mas antes do sol do meio-dia chegar
Minhas juras foram quebradas…
Porque amar você está além do meu querer…
Amar você é um veneno,
outrora tão doce, meu corpo contaminou
E novamente, a lágrima veio…
E trouxe de volta tua face diante de mim
Teus olhos me perseguindo por toda parte
E na rua, vejo teu rosto em cada rosto…
Mas não ouvi uma única música,
mas ecoa em mim a mesma canção
do nosso primeiro encontro.
E hoje, percebi
que não posso me libertar de você.


sábado, 2 de maio de 2009

Hummmmm 500 postagens E agora José?

























E agora, José?
A festa acabou,
a luz apagou,
o povo sumiu,
a noite esfriou,
e agora, José?
e agora, você?
você que é sem nome,
que zomba dos outros,
você que faz versos,
que ama, protesta?
e agora, José?

Está sem mulher,
está sem discurso,
está sem carinho,
já não pode beber,
já não pode fumar,
cuspir já não pode,
a noite esfriou,
o dia não veio,
o bonde não veio,
o riso não veio
não veio a utopia
e tudo acabou
e tudo fugiu
e tudo mofou,
e agora, José?

E agora, José?
Sua doce palavra,
seu instante de febre,
sua gula e jejum,
sua biblioteca,
sua lavra de ouro,
seu terno de vidro,
sua incoerência,
seu ódio - e agora?

Com a chave na mão
quer abrir a porta,
não existe porta;
quer morrer no mar,
mas o mar secou;
quer ir para Minas,
Minas não há mais.
José, e agora?

Se você gritasse,
se você gemesse,
se você tocasse
a valsa vienense,
se você dormisse,
se você cansasse,
se você morresse...
Mas você não morre,
você é duro, José!

Sozinho no escuro
qual bicho-do-mato,
sem teogonia,
sem parede nua
para se encostar,
sem cavalo preto
que fuja a galope,
você marcha, José!
José, para onde?

sexta-feira, 1 de maio de 2009

Anjos choram...





Dizem que as vezes por lembrarem de amores perdidos
Anjos choram...
E quando isso acontece.
O céu tinge-se de negro
até que as lágrimas dos anjos
caiam como chuva.
Mas não pode chover para sempre.
Não podem chorar para sempre..
Um dia os anjos tem que parar de chorar.
Dá próxima vez que você vir uma tempestade varrer o céu...
"Um anjo pode estar chorando por você."


O amor perfeito...





"O amor perfeito é realmente raro,
pois para ser um amante é necessário
que você tenha continuamente a sutileza de um sábio,
a flexibilidade de uma criança,
a sensibilidade de um artista,
a compreensão de um filósofo,
a aceitação de um santo,
a tolerância de um estudioso
e a força de um bravo."

(Leo Buscaglia)